HOMENAGEM AO C. R. VASCO DA GAMA

O RESGATE E A CONSERVAÇÃO DA MEMÓRIA DE UM GRANDE CLUBE FAZEM DO SEU PASSADO UM EXEMPLO E INCENTIVO PARA NOVAS CONQUISTAS.
ESTE BLOG PRESTA UMA HOMENAGEM AO CLUB DE REGATAS VASCO DA GAMA E A TODOS OS COLECIONADORES QUE GUARDAM COM CARINHO A MEMÓRIA E AS GLÓRIAS DE UM DOS MAIORES CLUBES DE TODOS OS TEMPOS, ATRAVÉS DA DIVULGAÇÃO DE IMAGENS DO ESTÁDIO DE SÃO JANUÁRIO E ACERVO PARTICULAR.
NÃO PERCA, TODA A SEMANA, NOVAS IMAGENS SOBRE COLEÇÕES, ANTIGUIDADES E CURIOSIDADES DO C. R. VASCO DA GAMA.
SEJA UM MEMBRO SEGUIDOR DO MAIOR ACERVO DE COLECIONISMO VASCAÍNO.
O QUE ERA BOM, FICOU AINDA MELHOR.
BEM VINDO, ENTRE... A CASA É SUA!

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Caderno Esportivo


O VASCO PERDEU ONTEM SUA INVENCIBILIDADE NA EUROPA

4 a 2 para o Clube do Pôrto - Os marcadores dos tentos - Outros fatos 


PÔRTO, 10 - (Especial para a S. P.) - Voltou o estádio das Antas, nesta cidade, a apresentar um aspecto festivo, com uma assistência das mais numerosas e entusiásticas, ávidas para assistir ao confronto dos quadros do Vasco da Gama e do F. C. do Pôrto, num "match" amistoso.
A expectativa que reinava em tôrno da apresentação da equipe brasileira, motivou essa afluência de público, com seus ingressos garantidos por antecedência, já que as localidades estavam esgotadas há três dias.

"GOAL" DE PINGA
Iniciado o jogo os locais atiraram-se decididamente ao ataque e logo no primeiro minuto, Barbosa saiu em falso e provocou uma situação de perigo que acabou sendo contornada por Belini, em boa intervenção. Os cruzmaltinos foram a frente e uma boa manobra de Ademir, Maneca e Sabará finalizou com um centro do ponteiro à Pinga para mandar a bola às rêdes, no segundo minuto de jogo. Estava aberta a contagem.
Equilibraram-se por momentos as ações mas observava-se que os portugueses tiravam mais proveito de seu sentido prático de jogo, menos brilhante sem dúvida alguma, porém mais prático e mais objetivo. Acrescente-se que Barbosa falhava seguidamente, saindo em falso.

EMPATE
Os elementos da defensiva cruzmaltina, por outro lado, não demonstravam o necessário entendimento, descontrolando-se e permitindo o assédio constante dos locais. Foi assim que Perdigão, aos 19 minutos aproveitando uma saída em falso de Barbosa numa bola cruzada pelo ponteiro José Maria, entrou e mandou a bola as redes, empatando a peleja.

PORTO 2 X 1
A vanguarda vascaína esforçava-se mas falhava-lhe o necessário apoio e a defesa local mantinha-se firme. Aos 36 minutos Jophe passou uma rasteira em Perdigão que lhe fugira perigosamente pela área. O juiz sentenciou justamente o penalti. José Maria cobrou atirando forte às rêdes, colocando o F. C. do Porto em vantagem no marcador, com 2 x 1, com que finalizaria o primeiro tempo.

OUTRO TENTO DOS "LUSOS"
O jôgo apresentou boa movimentação nos primeiros momentos do segundo tempo. Tinha-se a impressão de que os cruzmaltinos conseguiam firmar-se. 
Mas voltaram a repetir-se os equívocos e em pouco os locais passavam a manobrar com a mesma desenvoltura do primeiro tempo. Aos 21 minutos e meio do segundo tempo, depois de dois escanteios seguidos do Vasco, verificou-se uma confusão na área cruzmaltina do que se aproveitou o ponteiro Ernani para assinalar o terceiro tento do F. C. do Pôrto.

QUATRO A UM
Desnortearam-se os vascaínos e o quadro luso passou a manobrar com maior liberdade pressionando insistentemente. Aos 28 minutos, Perdigão escapou rapidamente e cruzou forte. Barbosa saiu do arco e Costa aproveitou-se para entrar e tocar de leve para as redes no quarto tento do F. C. do Pôrto.

SEGUNDO DO VASCO
Aos 33 minutos Alvinho leva o couro à frente e entrega a Ademir que entra rápido, defrontando-se com Barrigana. A bola sobra para Iedo que entrava rapidamente para assinalar o segundo tento do Vasco, aos 33 minutos. Ademir desfrutou de excelente oportunidade e atirou violentamente mas Barrigana praticou a melhor defesa do jôgo, soltando para Virgílio afastar, tendo faltado um atacante do Vasco que chegasse a área para aproveitar a chance.
Terminou o "match" com a vitória do F. C. do Pôrto, pela contagem de 4 a 2.

BOA ARBITRAGEM
A arbitragem do juiz Abel da Costa, foi boa. Seguro, preciso, evitou que o jôgo tivesse ações de maior violência e teve dois auxiliares corretos que facilitaram grandemente sua missão.

FORMAÇÃO DAS EQUIPES
VASCO: Barbosa, Paulinho, Belini, Jophe, Adésio, Dario, Sabará, Maneca, Ademir (Iedo), Pinga (Alvinho)  e Parodi (Ademir).
F. C. DO PÔRTO: Barrigana, Virgílio, Carvalho, Porcel, Vale (Sarmento),  Pedroto, Ernani, Costa, Teixeira, Perdigão e José Maria.

Caderno esportivo do jornal DIÁRIO CARIOCA, Sábado, 11 de junho de 1953.
Acervo Almanak do Vasco

Nenhum comentário:

Postar um comentário