HOMENAGEM AO C. R. VASCO DA GAMA

O RESGATE E A CONSERVAÇÃO DA MEMÓRIA DE UM GRANDE CLUBE FAZEM DO SEU PASSADO UM EXEMPLO E INCENTIVO PARA NOVAS CONQUISTAS.
ESTE BLOG PRESTA UMA HOMENAGEM AO CLUB DE REGATAS VASCO DA GAMA E A TODOS OS COLECIONADORES QUE GUARDAM COM CARINHO A MEMÓRIA E AS GLÓRIAS DE UM DOS MAIORES CLUBES DE TODOS OS TEMPOS, ATRAVÉS DA DIVULGAÇÃO DE IMAGENS DO ESTÁDIO DE SÃO JANUÁRIO E ACERVO PARTICULAR.
NÃO PERCA, TODA A SEMANA, NOVAS IMAGENS SOBRE COLEÇÕES, ANTIGUIDADES E CURIOSIDADES DO C. R. VASCO DA GAMA.
SEJA UM MEMBRO SEGUIDOR DO MAIOR ACERVO DE COLECIONISMO VASCAÍNO.
O QUE ERA BOM, FICOU AINDA MELHOR.
BEM VINDO, ENTRE... A CASA É SUA!

terça-feira, 17 de abril de 2018

Histórias do Clube de São Januário - 3


O ESTÁDIO

Em 1927, com Raul Campos na presidência, o Vasco inaugurou, no dia 21 de abril, o seu magnífico estádio de São Januário. Foi o maior do Brasil até 1941, quando São Paulo inaugurou o Pacaembu. E em São Januário, até 1949, ou melhor, até meados de 1950, quando surgiu o Maracanã, foram realizadas as maiores competições internacionais e nacionais de futebol, como as Copas Roca, Rio Branco e Osvaldo Cruz, campeonato sul-americano, o primeiro torneio Roberto Gomes Pedrosa e as sensacionais finalíssimas Rio x São Paulo, do campeonato brasileiro de seleções. O jôgo inaugural do estádio do Vasco, reuniu as equipes do Santos, famosíssima então pela fôrça arrasadora do seu ataque, e do clube local. O Santos venceu por 5 x 3, após um empate de 1 x 1 no primeiro tempo.

OS REFLETORES
Um ano depois de inaugurado o seu estádio, o Vasco da Gama acrescentou ao mesmo mais um marco de progresso, inaugurando os seus refletores na noite de 31 de março de 1928, com a realização da sua primeira partida internacional, que foi com o quadro do Wanderers, de Montevidéu. O Vasco venceu por 1 x 0 com um "goal" olímpico do ponteiro-esquerdo paraense Santana, cobrando um côrner direto às rêdes uruguaias. Houve uma preliminar entre as equipes principais do São Cristóvão e do América, que empataram por 1 x 1.

PARQUE AQUÁTICO
O estádio de São Januário não congrega apenas as instalações desportivas do Vasco da Gama, no setor do futebol, pois o Parque Aquático é obra que orgulha a agremiação e a Igreja de N. Sª das Vitórias mais tarde incorporada ao patrimônio cruz-maltino, representa o santuário da esperança e da fé nos destinos de um dos maiores clubes da América Latina.

PISCINA
Com a expansão de sua vida desportiva, o Vasco da Gama curvou-se à necessidade de crescer. E em São Januário mesmo fêz surgir o Estádio Aquático, o mais belo e completo do Rio e dos melhores, se não o melhor, de todo o Brasil. Uma perfeita piscina de 50 metros, dotada das mais modernas instalações, piscina de saltos e dois tanques para aprendizagem, completados por arquibancadas e demais obras necessárias, formam o Estádio Aquático de São Januário, que ainda muito poderá fazer pela grande família vascaína. Sua inauguração, com a presença de alguns dos maiores nadadores do mundo, foi uma bela festa. Ali se forjaram vários campeões cariocas e brasileiros; as equipes infanto-juvenis e a representação feminina do Vasco da Gama, campeãs da Cidade, fizeram época. Seus quadros de water-polo levantaram vários títulos; seus saltadores dominaram e ainda hoje dominam numerosas classes. Sem ter representado ainda tudo o que pode significar para os esportes aquáticos cruzmaltinos, é uma obra que se integra à perfeição na vida do clube e que certamente ainda dará grandes glórias ao sempre glorioso Vasco da Gama.

EXTRAÍDO DA REVISTA VASCO Nº 1/1971 - GRANDES CLUBES BRASILEIROS - RGE
Acervo Almanak do Vasco

Nenhum comentário:

Postar um comentário